quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Empresa de delator da "Cadeia Velha" tem contrato com fundo de previdência do município do Rio


Ao acessarmos o portal RioTransparente , mantido pela Controladoria Geral do Município, podemos verificar a existência de um contrato que chega a mais de R$ 24 mi com a Prole Serviços de Propaganda Ltda, celebrado com o FUNPREVI, através do Gabinete da Prefeitura do Rio a partir de 1º de janeiro de 2017, com data prevista de encerramento em 30 de junho de 2018.

É bom lembrar que a Prole Propaganda é a mesma empresa do delator Renato Pereira, o marqueteiro que está entregando todo o esquema de Cabral, Picianni, Eduardo Paes e Cia.

Segundo o site da Prefeitura do Rio, o Fundo Especial de Previdência do Município do Rio de Janeiro - FUNPREVI tem por finalidade específica prover os recursos para o pagamento de benefícios previdenciários dos segurados do Regime Próprio de Previdência dos servidores públicos do Município do Rio de Janeiro e a seus dependentes. Os benefícios abrangidos pelo Funprevi são:
Aposentadorias, concedidas pelos órgãos competentes; Pensões, concedidas pelo Previ-Rio.

Pelo jeito, o fundo de pensão dos servidores do município do Rio de Janeiro entrou na dança, atenção galera!


sexta-feira, 27 de outubro de 2017

O Brasil Colônia referência de Cesar Maia e a educação neoliberal de Jabor


Nesta semana, a partir de um texto de Cesar Maia e um podcasting do Arnaldo Jabor faço uma reflexão sobre a conjuntura e contexto político de hoje do Brasil e do mundo.
Do ex-prefeito do Rio de Janeiro, ex-socialista, ex-brizolista, exilado político abrigado pelo Chile de Allende , e hoje neoliberal e pai de Rodrigo Maia, atual “CEO” do governo Temer, Rodrigo Maia, leio e reflito sobre um texto relativo a crise da Catalunha conforme este fragmento:
Os gravíssimos problemas enfrentados pela Espanha, hoje, com a busca pela independência da Catalunha, teriam sido evitados se desde os anos 1500, Espanha tivesse aprendido com Portugal” - diz, expressando sua convicção no modelo colonialista português que trouxe para o Brasil Colônia quase 6 milhões de escravos.

Sobre isso, existe uma pesquisa das universidades de Emory (Atlanta-EUA) e Hull (Reino Unido) conduzidas pelos professores David Ellis e David Richardson, que em 12 anos examinaram os registros de 35.000 viagens marítimas de tráfico de escravos da África para as Américas, pelos diários de 5.200 navios pesquisados, chegando a conclusão que o papel comercial do Brasil/Portugal no negócio da escravidão negra é muito maior do que se pensava.

O ex-alcaide carioca expressa assim seu entendimento de que o modelo colonista de Portugal, pilhador de recursos, exterminador de indígenas e escravagista pode ser considerado referência para a atual crise espanhola.

No século 18, Marquês do Pombal, poderoso primeiro ministro português, imprimiu independência econômica em relação à Inglaterra, desenhou a hipótese do Rei de Portugal ter que vir para o Brasil num momento crítico, o que ocorreu uns 40 anos depois, com a invasão napoleônica E foi mais longe. Entendendo que as regiões dirigidas pelos jesuítas caracterizavam territórios autônomos, expulsou os jesuítas, no que foi acompanhado pela Espanha. Unificou as relações do Brasil com Portugal, que eram dívidas com o Grão – Pará que atuava com autonomia de regras em relação ao restante do Brasil. Proibiu que se falasse, além do português, o Tupi e Guarani, que eram falados por mais da metade dos brasileiros e da mesma forma agiu em relação às línguas africanas. Ainda no século 19, parte significativa da população de São Paulo e Mato Grosso usava o Guarani como sua língua, o que foi reprimido” - discorre, em texto publicado em 25 de outubro, último no 'Ex-Blog do Cesar Maia'.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...