sexta-feira, 20 de março de 2009

Deboche ou homofobia?

Meus caros, as capas do tablóide Meia Hora, editado no Rio de Janeiro são sempre polêmicas e criativas, mas esta manchete sobre a morte do estilista Clodovil pegou um pouco pesado.
Para quem não conhece, à linha editorial do jornal é bem popular beirando o sensacionalismo. Tem muita gente que achou a capa desta edição um marco do jornalismo. Enfim, para vender vale tudo, até caçoar de um defunto famoso.

6 comentários:

Luiz Alexandre disse...

"Marco do jornalismo"?!

Pois então que queimemos a imprensa de vez, se isso for o exemplo do melhor que o jornalismo faz. Está no contexto da proposta do "Meia Hora" esse tipo de coisa, mas apesar de ter sim humor, e dos mais negros e perversos, é de uma cretinice absurda. Onde estão os parâmetros dessas pessoas para tecerem comentários como esse?

Antenor Thomé disse...

Achei um absurdo a capa do jornal!!
Não é assim que se faz um bom jornalismo.
Muito bom seu blog, acesse o meu também: www.muraldoantena.blogspot.com

Um abraço

Carol Bonando disse...

um marco no jornalismo nao significa que seja bom, como a ditadura q foi um marco na historia e nao foi bom... ou vc acha q foi?
enfim, no caso deste texto do queridíssimo lobao, eu acho q pode ter ocorrido um marco e nao acho de todo negativo. O falecido queria ser chamado assim depois de morto, vejam entrevistas, conheçam a história do falecido. Também, é claro, nao coloco a mão no fogo pra dizer o que ele queria ou não. Mas, com quase toda certeza digo que ele não está se remexendo no caixão por ter sido chamado de purpirina.
Meu colega palmeirense - sim, o falecido era como yo, um porcao - marcou não só uma capa de jornal, ele marcou tb a história da política brasileira, tendo se candidatado a um cargo, em nome do protesto, ele ofereceu sua brincadeira para o povo mostrar que está insatisfeito com a atitude dos políticos que não ajudam em nada, só pioram, e ele ganhou! Simmm, ele foi o mais votado e ficou por lá, decorando sua sala, tomando cafezinho burgues político. Isso também é um marco! O povo quer protestar, e ele foi um cara que deu a oportunidade de sua maneira, se foi bom ou ruim não me cabe a questão nesse momento. O momento é dizer que ele morreu, todo mundo morre, eu um dia vou morrer, e se disserem que virei purpurina talvez não seja a melhor definicão para mim, mas para Clodovil pode até ser.

Luiz Alexandre disse...

Ok, mas não venha me dizer que isso é marco. O Povo fez esse tipo de piada há anos ("estilista francês ou gringo boiola? Depende do jornal que você lê" dizia o out door) e uma série de outros jornais populares também. Não houve a meu ver um pingo de genialidade ou de importância nessa piada, muito velha por sinal, feita pelo veículo. Se o Clodovil era uma figura importante ou apenas um fresco que queria aparecer não me compete dizer, mas os caras fazerem essa capa e ser considerado "marco no jornalismo" pra mim é um equívoco patético. A única coisa que o Meia Hora faz, e talvez por isso mereça algum crédito, vá lá, é pelos seus jornalistas, citando o próprio Lobão em outra postagem sua,serem porta vozes do senso comum. E o senso comum só é marcado por uma ignorância e um moralismo de doer.

Claudio Nascimento disse...

Carol sempre com belas palavras, hehehe

De mal gosto ou não, é fato que foi um ato de coragem. É o tipo de piada que todos fazem ou já fizeram um dia, mas claro, o "politicamente correto" não permite.

Mas quem se importa??? Quando passei pela banca de jornais, de cara a capa chamou a minha atenção... e com certeza, de muitas outras pessoas.

Era só isso que eles queriam!!!

Paulo Tamburro disse...

Oportunismo marrom!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...